Perkons S.A | Mobilidade e Segurança no Trânsito

Condutor Carros conectados

Muito mais do que direção hidráulica, teto solar e bancos de couro. Para atrair a clientela, a indústria automobilística está investindo também em conectividade. Os carros recebem o título de “conectados” quando contam com dispositivos que promovam a conexão com outros aparelhos, seja por meio de entradas USB, bluetooth ou de modem 3G/4G. De acordo com uma projeção da empresa de pesquisa de tecnologia Gartnet, um em cada cinco veículos no mundo terá algum meio de conexão de rede sem fio até 2020. Cada vez mais é possível encontrar carros de fábrica com comando de voz e botões acoplados ao volante, mas já existem opções de sistemas para serem instaladas depois. Confira abaixo soluções que já estão no mercado:

• GPS

A sigla vem de Global Positioning System, que significa, em português, sistema de posicionamento global. É um sistema de navegação por satélite que envia informações sobre a posição de algo em qualquer horário e em qualquer condição climática. Ele facilita a rota dos condutores, uma vez que traça a rota com base no endereço de chegada. Alguns automóveis já vêm com esse item de fábrica e conseguem até exibir a situação do trânsito em tempo real, caso estejam conectados à internet, selecionando o melhor percurso.

• Wi-Fi

É uma abreviação de Wireless Fidelity, que significa fidelidade sem fio, em português. Para acessar uma rede Wi-Fi é preciso estar dentro de uma área de abrangência – e os carros conectados já podem ser uma delas. Atualmente, as montadoras oferecem um aparelho 3G e um roteador para ser instalado no carro e transmitir este sinal.

Bluetooth

Permite a transmissão de dados entre dispositivos, desde que um esteja próximo do outro. Dentro do carro, ele possibilita que condutor e passageiros possam escutar as músicas do celular e até realizar chamadas telefônicas com viva voz por meio dos alto-falantes do veículo.

• Comando de voz

Possibilita acessar funcionalidades do celular enquanto o motorista conduz o veículo, sem a necessidade de desviar o olhar ou ter uma das mãos ocupadas. Nesse caso, a conectividade é realizada por bluetooth. Alguns modelos de carros permitem que o condutor possa acionar funções do próprio veículo como DVD, GPS e DVD Player.

 

Lembre-se sempre do risco de usar as facilidades dos carros conectados: O melhor é que os passageiros utilizem e que os condutores se concentrem apenas em dirigir! Se não for possível, faça antes todas as consultas necessárias ou estacione o veículo em local adequado para evitar acidentes causados pela distração.

 



Concierge de bordo

Os serviços variam de acordo com o sistema adotado pelas montadoras, mas – de modo geral – o sistema realiza reserva de hotéis, indica restaurantes e postos de gasolina mais próximos da localização do carro, oferece tradução e até solicita reboque.



Crédito: UConnect - Divulgação/BMW

O serviço de concierge permite que motoristas e passageiros desfrutem de diversas comodidades durante a viagem.



Drive like a girl (dirija como uma garota)

Após constatar que as mulheres dirigem com mais cuidado que os homens, uma empresa criou esse software em parceria com seguradoras para oferecer aos motoristas que “dirigem como uma menina” descontos nas apólices. É preciso instalar uma espécie de caixa-preta no carro do usuário para monitorar a forma como o motorista dirige.

• Relatório de saúde do veículo

O programa realiza uma avaliação do estado do carro, enviando um relatório por e-mail uma vez por mês para o proprietário. Nele é possível consultar o status dos principais sistemas do veículo e determinar quais medidas deverão ser tomadas para a boa conservação dele, garantindo sua durabilidade.

• Localizador de veículos

Na hora de buscar o carro onde o estacionou, esta funcionalidade pode te fazer ganhar tempo na hora de encontrar seu carro. Ele permite que você acompanhe a localização do veículo utilizando apenas um celular conectado à internet.

Apesar da praticidade, a conectividade dos carros ainda é cercada por polêmicas, como o risco de ter o sistema do carro invadido por hackers. Uma pesquisa realizada em 2014 pela McKinsey&Company entrevistou 2 mil compradores de veículos do Brasil, da China, da Alemanha e dos Estados Unidos e uma média de 54% tem medo de ter o sistema de seu carro hackeado.

Na hora de escolher um carro “conectado”, é indicado checar se o sistema de internet conta com firewall (programas que controlam e filtram o fluxo de dados que circula entre o computador e alguma rede) ou outros softwares que garantam a segurança das informações contidas no veículo.



Créditos: Divulgação e reprodução/YoutubeNo

Brasil, a conectividade no veículo ainda é um item opcional na hora da compra.


Regulamentação

Na União Europeia (UE), será obrigatório que os carros fabricados a partir de outubro de 2015 venham com o eCall: sistema que liga automaticamente para o 112 – o número de emergência único europeu – em caso de acidente grave. Ele comunica a localização do veículo aos serviços de emergência, mesmo que o motorista esteja inconsciente ou incapaz de fazer uma chamada telefônica. A Comissão Europeia, órgão executivo da UE, estima que esta medida poderá salvar até 2,5 mil vidas por ano, uma vez que poderá acelerar o tempo de resposta dos serviços de emergência em 40% nas zonas urbanas e em 50% nas zonas rurais.

Nos EUA, a Secretaria de Transportes espera regulamentar os carros conectados até o final de 2015. A ideia é que seja implementada a tecnologia V2V (veículo-para-veículo), que permite que os carros se comuniquem. O governo entende que essa medida, testada pelas autoridades em 2012, auxilia na prevenção de acidentes, uma vez que o motorista poderá calcular de forma precisa se uma mudança de faixa é possível ou se uma conversão é segura com base na captação das informações de outros carros. Apesar de as montadoras serem favoráveis ao projeto, a liberação de espectro eletromagnético (conjunto de todas as ondas eletromagnéticas de diferentes frequências) para V2V e a regulamentação de questões de privacidade são duas barreiras para sua aprovação.

No Brasil, ainda não há uma regulamentação sobre o uso dos carros conectados.


Fontes: Folha de São Paulo; G1; Olhar Digital; Chips Away; Tecmundo

Compartilhe:
« Voltar


Em parceria com a Intel, a Ford criou o Mobi, que mostra várias interações que o carro pode ter com seu condutor.